Um país que mais parece uma novela, ou melhor uma tragédia grega!!!

Lamento dizê-lo, mas sinto-me cada vez mais deslocado e revoltado neste país que até hoje tive como pátria amada, não pelo país em si, pois o território é sem duvida um belo jardim à beira-mar plantado, poder-se-à dizer um paraíso, orografia, clima, mar imenso, ausência de calamidades naturais, que mais poderíamos desejar, pouco, muito pouco…

O problema não está no país em si, como já vimos, está então onde?

Muito fácil descobrir a causa para o marasmo em que vivemos hoje, um país na cauda da Europa, um país sem organização, um país disfuncional, um país sem soberania, em suma, um país em marcha atrás, um país à beira do abismo, um país falido, tanto materialmente como culturalmente. Um povo que deixa que lhe retirem a identidade cultural e até a capacidade de raciocínio, a tal liberdade, a liberdade verdadeira, a liberdade de livre pensamento, uma nação que se rendeu às “mordomias” de uma sociedade moderna, uma nação que se rendeu ao consumismo desenfreado, um povo que se rendeu a uma campanha de desinformação, que se rendeu ao facilitismo, que se isentou de pensar, chegando ao ponto de renegar e se envergonhar do seu passado glorioso, um passado de conquista e de afirmação, um passado em que fomos na realidade os grandes globalizadores, os portadores de cultura e regras de boa convivência aos quatro cantos do mundo.

Resultado de imagem para descobrimentos

Temos hoje um pseudo-governo que nada mais é que um braço dos grande interesses corporativos mundiais, um estado que não cumpre a sua função que é por definição servir a nação, defender os interesses da nação, promover o bem estar, segurança e precaver o futuro, temos tudo menos isso, temos na realidade uma brutal máquina estatal ao serviço de todos menos daqueles a quem na realidade deveria servir, escusado será mencionar os recentes casos em que foram sonegados ao erário público muitos milhões de euros dizendo ser para protecção da população, mas que no final está mais que provado que não passou de uma brutal fraude, um roubo que beneficiou ao mesmo tempo interesses pouco claros(banca, corporações), bem como a classe política, temos então na realidade um estado criminoso recheado de criminosos e associações criminosas que dão pelo nome de partidos políticos, uma farsa, um embuste!!!

Bem sabemos que a melhor forma de dominar uma nação é vedar-lhe o acesso ao conhecimento, é mantê-la imbecilizada, é retirar-lhe a identidade cultural, e pior ainda é promover o ódio ao seu passado, é fazê-la esquecer e alterar os factos, tornar o que era grande e valoroso em vergonha, tornar heróis em facínoras, em suma, promover uma verdadeira inversão de valores, lamento, mas foi e é exactamente isso que vivenciamos há décadas, para ser mais verdadeiro, desde aquela coisa a que chamaram de revolução, para mim, nunca o foi, foi sim uma traição a uma nação outrora una e soberana, pois tratou-se pura e simplesmente de uma venda, de um processo de desagregação de um império e pior ainda, da escravização de um povo pelo sistema, um sistema que não olha a meios para atingir os seus fins, um sistema para o qual a vida humana se resume a números, não interessa mesmo se para dominar tenha que promover genocídio, fome e miséria extrema, como está bem patente nos dias de hoje nas nossas ex-colónias, farsas, digo eu, sob a marca da liberdade, sob o pretexto da libertação de povos autóctones, muitos milhões foram condenados à morte e indigência.

Imagem relacionada

Perguntam-me então, que solução, pois solução, ou soluções no contexto actual não serão fáceis de encontrar, primeiro ponto, é preciso que este povo queira mesmo mudar, bem sei é difícil, muito difícil, pois inverter um ciclo de quase meio século de um programa de imbecilização em massa, bem sabemos deixou marcas tão profundas nesta nação que não será fácil num curto espaço de tempo promover a sua inversão, há toda uma terapêutica a aplicar que em princípio além do tempo que levará a mostrar resultados, temos também a resistência do sistema que tem interesse em manter o status quo, uma sociedade imbecilizada e acarneirada é muito mais fácil de dominar do que uma sociedade desperta, culta e informada. Bem sabemos que o sistema educativo hoje retira aos alunos a capacidade de raciocínio, despeja-lhes conteúdos completamente formatados, politicamente correctos, de acordo com o pretendido pelo sistema e nada mais, vivemos hoje uma sociedade em que desde a infância sem darmos conta somos formatados, somos escravizados, somos transformados em perfeitos consumistas-materialistas escravizados pelo sistema, somos mesmo números e unidades produtivas com uma única finalidade, sustentar o sistema, mas o mais grave é que adoramos o sistema que nos escraviza, temos uma liberdade aparente que mais não é que uma prisão em que nós próprios nos auto-escravizamos, triste realidade sermos completamente manipulados, bombardeados pelos media.

Temos portanto uma árdua tarefa de informar, trazer a verdade à luz do dia, desmontar as mentiras, em suma repor a verdade histórica e factual, enaltecer os nossos verdadeiros heróis, demonstrar que fomos no passado um grande povo e que podemos voltar a sê-lo, para tal basta querermos, basta unir de novo a nação em torno de um objectivo comum, o restaurar da ordem, o recuperar de soberania, o dizer não a esta escravatura imposta pela força do grande capital, pela força dos senhores do mundo a quem a nossa actual classe política se rendeu, é tempo de dar aos traidores o merecido castigo, é tempo de refazer Portugal, é tempo de encarar o futuro de outra forma, é tempo de reagir, nem que para isso, tal como outrora alguns de nós tenham que tombar pelo caminho, afinal, somos homens, não somos coisas, e sinceramente prefiro morrer de pé do que ter que me vergar a um sistema escravizador e ver toda uma nação condenada a uma morte lenta.

Por isso mais uma vez volto a dizer, o meu lema é e sempre será:

Só tem Pátria quem sabe morrer,só tem pátria quem sabe lutar….

Nunca me renderei, nunca me calarei, Portugal é o meu pais, tenho muito orgulho em ser português, orgulho-me dos nosso idos, orgulho-me dos seus feitos e conquistas, a glória conquista-se com sangue, suor e lágrimas, esperamos o quê???

Alexandre Sarmento

 

 

Artigos recentes

Comentários recentes

Arquivo

Categorias

Meta

Alexandre Sarmento Written by:

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *