Responsabilidade, ou Irresponsabilidade eis a questão!!!

Culpas, culpados, vítimas, causas e medidas a adoptar no futuro…

A culpa, como todos bem sabemos vai mais uma vez morrer solteira, causas naturais, um raio, uma treta qualquer, ou melhor , no meio de uma área ardida brutal dizem que um raio atingiu uma determinada árvore, caricato não vos parece?
Será que a árvore também tinha cartão de cidadão, ou passaporte como os terroristas nos atentados, como bem sabemos depois de se pulverizarem lá aparecem os seus documentos imaculados, tretas, sempre a mesma merda, sempre um sacudir de água do capote, ou então defender os interesses por detrás destas brutais calamidades, o poder do dinheiro fala muito mais alto do que o valor da vida humana, lamentável, ao que esta civilização chegou!!!

Resultado de imagem para relampago
Culpados, sim culpados, bem sabemos quem vão ser, sempre os mesmos, ou seja, as vítimas, que estavam onde não deveriam estar, hora e local errado, aliás como sempre, realmente uma sociedade governada por uma cambada de hipócritas e criminosos que se furtam sempre a assumir a sua quota parte de responsabilidade no que quer que seja, apenas responsáveis pela defesa dos interesses corporativos, deixando de parte os interesses da população, estando-se perfeitamente a borrifar para tudo e para todos, olhando apenas para os seus próprios proveitos.
Vítimas, bem, falando de vítimas, as verdadeiras serão sempre o elo mais fraco, serão de futuro apenas um vulgar registo de uma qualquer calamidade, dados estatísticos, digo eu, pois nos dias de hoje estamos infelizmente reduzidos a um mero número no sistema.
A perda de vidas humanas, perda de vida animal e vegetal, desertificação, destruição de riqueza e meio ambiente, perdas brutais, perdas escusadas se tivéssemos realmente quem cumprisse com a sua obrigação de gerir a coisa pública, afinal é para isso que os mandatamos e lhes pagamos os salários, os orgãos de soberania existem para nos servir e não para se servirem da nação, lamentável esta inversão do sistema, lamentável esta fraude, lamentável o desvio de muitos milhões de euros que deveriam ser destinados a promover o desenvolvimento, o bem estar e a segurança da população serem canalizados para empresas e entidades que mais não são do que aparelhos captadores de capital, fraudes, associações criminosas coniventes com os criminosos que nos deveriam governar ou zelar pelos nossos interesses, uma vergonha, verdadeira prostituição entre instituições.

Resultado de imagem para responsavel
Medidas a adoptar, muito fácil, por o sistema ao serviço da população, acabar com a fraude que são a quase totalidade das instituições que orbitam a esfera do estado, acabar com o parasitismo da coisa pública, responsabilizar criminalmente todos aqueles que causem prejuízo ou dolo no exercício das suas funções, tornar as instituições funcionais e geradoras de bem estar e de segurança.
Precisamos de adoptar uma atitude pró-activa, participativa, e especialmente critica e assertiva em relação ao destino do país, estamos a pagar um preço sem dúvida alto, mas somos também responsáveis pelo sucedido pois temos sido incapazes de fazer opções, temo-nos furtado a grande parte das nossas responsabilidades, sendo talvez a mais grave termos deixado que criminosos tomassem conta do país e da nação debaixo do nosso nariz.
Enquanto os assuntos acessórios forem mais importantes do que os essenciais estaremos condenados a situações destas, tenham em atenção que a vida real, não é, nem futebol, nem novelas e muito menos reallity shows, é verdadeira e temos um problema, só vivemos uma vez, por tudo isso é preciso despertar, e preciso apelar à consciência de cada qual, olhemos mais para o nosso lado humano e deixemo-nos de materialismos que nos encaminham para o abismo, pensem nisto, tomem atitudes, participem pois todos temos direitos, mas sobretudo obrigações, sejamos responsáveis…
Temos um futuro a defender, e o tempo de mudar de atitude é agora, já tarda!!!

Alexandre Sarmento

Artigos recentes

Comentários recentes

Arquivo

Categorias

Meta

Alexandre Sarmento Written by:

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *