Direitos Humanos vs Industria da Guerra vs Fome e Subdesenvolvimento…

Tanto se fala nos dias de hoje em direitos humanos e na realidade o que se passa é exactamente o esquecer e promover mesmo, a miséria, a morte e o subdesenvolvimento, estranho, não é, passo a explicar a razão da minha revolta…

Tanto se fala em ajuda humanitária, outro embuste pelo que vejo, pois a grande entidade promotora é nada mais, nada menos que a ONU, organização que como alguns mais informados sabemos não passa de um Cavalo de Tróia do estado tirânico que financia essa mesma instituição, bem sabemos que os milhares de milhões de dólares que aparentemente se destinariam a essa mesma ajuda humanitária se diluem de tal forma que apenas uma ínfima parte chega ao destino final, ficando a grande parte do bolo em posse de algumas organizações e individualidades ligadas a tal organização, enfim, um embuste, uma hipocrisia, uma grande hipocrisia, chegando essas organizações ditas de ajuda humanitária servirem de mulas do superestado que patrocina toda essa situação, sei de fonte segura que em grande parte das colunas de ajuda, são transportados armamento e afins, bens que nada têm a haver com os propósitos a que essas organizações deveriam prestar, na minha muito sincera opinião estamos mesmo a tratar de organizações terroristas ou que apoiam ou financiam o terrorismo.

Resultado de imagem para camioes ONU

Como será possível algum dia debelar o problema da fome e miséria neste mundo se aqueles que deveriam servir, aqueles que deveriam ajudar são os mesmos que se beneficiam com a miséria alheia, já pensaram nisso? Já pensaram que a maior industria a nível mundial é a industria do armamento, e porquê, porque o esforço pelo domínio do mundo é brutal, a ganância de meia dúzia de famílias que dominam uma nação é brutal e não olha a meios para atingir os seus fins, com isto se desfizeram estados perfeitamente estáveis há séculos, alguns desses estados já num nível civilizacional notável, com educação, saúde, boas condições de vida das suas populações e sobretudo estados onde reinava a paz. Como todos sabemos fomos um dos países mais afectados por esses abutres, os senhores que promoveram a saída dos nossos das ex-colónias, os que induziram as populações autóctones numa brutal mentira, mentira essa com resultados desastrosos, pois afinal revestiu-se de uma promoção da violência chegando ao cúmulo de se terem cometido verdadeiros genocídios, genocídios ainda hoje sem contabilização de números correctos ou sequer aproximados, segundo algumas fontes que consultei, os números não andarão muito longe dos 4 a 5 milhões as vítimas desses genocídios nos nossos antigos territórios.

Falamos então de crimes de guerra e não de movimentos libertadores, falamos de terrorismo e não de promoção de regimes democráticos (essa era a justificação para as independências), falamos de promoção da miséria e não da promoção de bem estar social, falamos de abrir as portas desses territórios ao roubo das suas riquezas minerais e matérias primas, realmente verdadeiras campanhas de depauperamento e saque desses territórios com o fomento de governos tirânicos, como bem sabemos se passa apenas a título de exemplo em Angola, sabemos nós das fortunas colossais de todos aqueles ligados à governação, multimilionários, digo eu, um país neste momento com 20 milhões de pessoas a viver em condições infra-humanas, no limiar da miséria, sem condições de saúde, educação, habitação, nada mesmo, zero condições de subsistência, o mais grave é que essas mesmas populações há poucas décadas tinham todas as condições para viver condignamente, tinham educação, bons sistemas de saúde, educação, habitação, infra-estruturas e sobretudo esperança no futuro, esperança essa que está hoje tal como a população, moribunda, digo eu!

Imagem relacionada

Esgotos ao ar livre, falta de assistência médica, países que não passam de autênticos teatros de guerra, a miséria total excepto para as elites, mas afinal teria sido assim tão difícil pelo menos manter os níveis de desenvolvimento de outrora, sinceramente penso que não, este retrocesso a todos os níveis foi mesmo promovido pelas políticas seguidas, serve a quem essa situação, quem beneficia?

Beneficiaram as grandes multinacionais, beneficiaram os grandes grupos económicos, beneficiaram os estados que promoveram essa situação, e beneficiaram os ocupantes do aparelho do estado, nada mais, pois as populações essas ficaram sem os seus bens, sem as suas matérias primas e seu os seus recursos naturais, ficando desta forma abandonadas à sua sorte, sabem o que me faz lembrar esta situação, será que não é mesmo o objectivo o controle populacional, o deixar os territórios outrora ocupados pelos autóctones completamente livres para que o acesso aos recursos seja facilitado?

Resultado de imagem para miséria na angola

Falando muito a sério em relação aos nossos territórios ultramarinos, alguém ganhou alguma coisa com a vergonhosa descolonização promovida pelas duas superpotências à época?                                                       Não ganhou, o estado ou nação que promoveu o desenvolvimento daquele território e das suas gentes, não ganharam os autóctones, e na minha sincera opinião foram mesmo os mais prejudicados, os únicos ganhadores foram sim, os clãs que subiram ao poder, os tiranos que se assenhoraram do poder, os tiranos que se eternizam no poder, e o mais grave, com o apoio da comunidade internacional, mundo hipócrita este.         Falamos então de ditaduras verdadeiras apadrinhadas por estados maçónicos que se dizem promotores de liberdade e democracia, os tais estados ditos defensores e promotores dos direitos humanos. Países outrora em paz e hoje em estado de guerra, serve a quem também esta situação, a uma industria pujante, a uma industria com grande valor acrescentado, a industria da morte, a industria do armamento e material militar.

Meus amigos este foi apenas um pequeno retrato do que se revestem muitas das instituições que tínhamos como promotoras de paz e bem estar das populações, digo mesmo, estamos mesmo num tempo em que a mentira impera e o real valor de tudo é mesmo o dinheiro, a vida humana nos dias de hoje é perfeitamente descartável, passámos a ser meros números, meros peões no tabuleiro do xadrez mundial, arrisco mesmo a dizer que esta humanidade está condenada a desumanizar-se, ou mesmo a auto extinguir-se se não tomarmos medidas rapidamente.

Fica assim expresso o meu voto de protesto em relação a quem realmente mexe os cordelinhos deste mundo, pretendo sim alertar a todos para mudar de atitude, sejamos activos e participativos, deixe-mos o nosso espaço de conforto e a nossa comodidade, façamos algo por esta terra, façamos algo pela humanidade, façamos algo pelos nossos vindouros, façamos algo por nós.

Alexandre Sarmento

 

 

 

 

Artigos recentes

Comentários recentes

Arquivo

Categorias

Meta

Alexandre Sarmento Written by:

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *